Saúde? Beba Vinho!

Foi preciso esperar até ao século XX para dissecar as entranhas do vinho com espírito científico. Em 1940 foi isolado pela primeira vez o resveratrol, um fitoquímico produzido pelas plantas para combater fungos e bactérias, e que faz do vinho (e de outros alimentos como uvas, amendoins e mirtilos) um alimento com propriedades medicinais.

Não parou de ser estudado desde então, descobrindo-se que, além do resveratrol, o vinho tem outros componentes que fazem bem à saúde, como os taninos, as procianidinas e o ácido gálico.

Os suplementos não mostram ter a mesma eficácia do que os alimentos naturais, pelo que o ideal é fazer do consumo de alimentos benéficos, como vegetais, frutas e vinho em doses moderadas, uma parte do estilo de vida.


Estes são alguns dos benefícios do vinho (em doses moderadas) mencionados em estudos recentes: • Tem potencial quimiopreventivo em vários tipos de cancro, graças à acção do resveratrol • Aumenta o “bom” colesterol (HDL) e baixa o “mau” (LDL) • Tem efeitos anti-inflamatórios • Tem propriedades antioxidantes e anti-envelhecimento • Previne a demência. Um estudo publicado no The Journal of Neuropsychiatric Disease and Treatment concluiu que os consumidores moderados de vinho tinto tinham menos 23% de risco de ter demência • É bom para a pele. Estudos mostram que consumir resveratrol pode ajudar a inibir o crescimento das bactérias do acne e outro mostrou que os flavonóides do vinho ajudam a proteger a pele dos danos do sol • Contribui para a saúde cardiovascular, graças às procianidinas • Ajuda a viver mais tempo, sugerem investigadores de Harvard • Ajuda a reduzir em 30% o risco de diabetes tipo 2 • Pode ajudar a prevenir constipações • Pode ajudar a reduzir a depressão

3 visualizações